Todos nós contemos um Som, toda a nossa alma vibra num tom, toda a frequência, Luz e Cor, quando nós vibramos em mais amor. Qual é o teu tom, desconheces, achas estranho, não conheces os sons, sons sagrados, sons de Origem, do Princípio, talvez tenhas duvidado, esquecido todos os sons, as crianças reconhecem-nos, as crianças vibram, são instrumentos afinados, nós estamos completamente desafinados, desalinhados nos nossos sons. Até quando vais tocar um instrumento desafinado? Afina-te, reequilibra-te, centra-te na tua Paz. Muitos estão a sentir, a recordar, a permitir-se ser e escutar, talvez não escutem ainda no coração mas já sentem um pulsar no corpo, na energia e na vibração de que são este som original. Permite sentir, entoar, cantar porque a vida está em ti. Tu és vibração, és uma energia, recorda-te disso, tu és energia e hoje e aqui somos formas de Luz, tudo é energia…não estás preparado para sentir? É estranho mas ao mesmo tempo tão familiar para ti, deixa-te levar e solta, solta, alinha, equilibra toda a tua alma, todo o teu sentir, equilibra e sintoniza-te nesta frequência…Quereis a Paz? Estás a procurar a Paz? Há um espaço, há um espaço num ápice, num momento, num momento em que não há um pensar e quando tu não estás a pensar, não que não se formem mais formas de pensamento dentro  do teu Ser mas simplesmente nesse espaço, onde tu começas a Ser, é nesse espaço que começas a estar em mais Paz, quando permites, quando permites estar presente e quando num sopro, num sopro interior, encontras um espaço dentro do teu tempo, não é um espaço fora de ti, procuras a paz longe, fora, como se ela te pudesse ser doada por algo exterior a ti, por algo de fora de ti, a Paz existe onde tu estás, onde tu és, onde o ser começa simplesmente a ser quem é, sem parecer nem querer, parecer algo que não é, mas onde é que eu posso me encontrar e ser quem eu sou? Se não me encontro, senão mergulho neste momento, neste instante, neste mergulho infinito onde sou, simplesmente puro, puro som, onde não há qualquer palavra, onde não há qualquer palavra que se esconda de mim, onde poderei Ser, onde é esse lugar fora de mim? Tu já és o Templo, e o Templo está em ti! Estareis a construir templos e existem muitos templos por aí, pedras sobre pedras que estão a cair, que não se podem mais segurar. É hora de restabelecer o templo em vós! É hora de trazer esta Paz de dentro para fora de vós, só então podereis mergulhar num mundo pacífico. E isso é um trabalho comum, um trabalho do Mundo do Mundo, vós sois os Templos, procurais fora o que está dentro, se vós sois os Templos, acaso não estão inquietos com tantas manifestações, divisões, por vezes, até mentiras que se impõem, onde poderei confiar, onde poderei entrar… Estás a mergulhar fora, os templos sois vós, recordai-vos disso, o templo é Interior, a Paz é a tua construção, a nossa construção em uníssono, vós sois os Templos, recordem-se disso! Que a Paz esteja com todos e vós estejais em Paz porque o Mundo está em Paz quando tu estás em Paz, és Abençoado, és Iluminado, és um Ser de Luz e Amor. Bem hajas por Seres, Sentires e Acreditares, simplesmente, na Luz que És. Que a Paz invada a tua Alma, que se manifeste no teu Templo porque tu és o Templo!

Share This